O trabalho de um socorrista

O trabalho de um socorrista

U

Um trabalho vital para salvar vidas ao realizar os primeiros atendimentos à uma vítima 

O trânsito está caótico. Ninguém tem paciência no trânsito. Frases comumente presentes nas conversas de qualquer grupo, seja entre família, amigos ou colegas de trabalho. Todos os jornais, seja qual for o formato, noticiam acidentes de trânsito diariamente. Estes envolvem motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. O Paraná é o terceiro Estado com maior número de mortes por acidentes de trânsito, com 2.712 em 2018, segundo levantamento de dados da Seguradora Líder.

Estatística que comprova a importância do trabalho de um socorrista. Mas como surgiu esta profissão? Quais são as funções? Quem é este profissional? 

A partir de pesquisas foi possível descobrir a história deste profissional que hoje é essencial em qualquer sociedade. Os primeiros registros do serviço de atendimento pré-hospitalar brasileiro são de 1893, quando o Senado da República aprovou uma lei que pretendia estabelecer o socorro médico de urgência na via pública, no Rio de Janeiro, na época capital do país.

Com o passar dos anos surgiu o Corpo de Bombeiros, o Serviço de Assistência Médica Domiciliar de Urgência (SAMDU) e o Atendimento Pré-Hospitalar (SvAPH). Em 1990, o Ministério da Saúde (MS) propôs o Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergências (SIATE).  

E em meados de 1995 foi implementado o SAMU. Surgi então a profissão do socorrista, sendo que o atendimento vai muito além do transporte seguro das vítimas. Este é o profissional que atua na equipe de resgate e realiza os primeiros socorros, podendo salvar vidas ao estabilizar o quadro do paciente.

A primeira função do socorrista ao chegar ao local do acidente é garantir a segurança das vítimas e a própria enquanto realizar os primeiros socorros. Para depois fazer o transporte seguro ao hospital e, ao chegar o socorrista deve auxiliar os profissionais do atendimento pré-hospitalar. 

Além deste atendimento ao paciente, o trabalho do socorrista também está em controlar o local do acidente para prevenir outros acidentes e ter certeza de que a central do sistema de emergência foi notificada, permitindo a chegada dos profissionais no local da ocorrência o mais rápido possível. 

Para conseguir realizar este suporte básico que envolve o atendimento hospitalar, a remoção de pacientes e o transporte, é necessário passar por um curso de socorrista que tem como exigência a conclusão do Ensino Médio. O curso deve fazer com que o aluno entenda os principais pontos relacionados ao atendimento emergencial em vítimas de qualquer tipo de acidente, em situação de resgate ou salvamento e mostrar como fazer o atendimento pré-hospitalar de maneira adequada, rápida e segura até chegar ao hospital. Apesar de não ser obrigatório, é muito comum o socorrista ter graduação em enfermagem. 

Hoje o mercado é amplo, sendo este um profissional que pode trabalhar em hospitais, centros de saúde, SAMU e ambulâncias. E a média salarial para socorrista no Brasil é de R$ 1.492, segundo o site vagas.com. 

Perfil do socorrista

1. Equilíbrio emocional para tomar as melhores decisões em situações de extrema pressão

2. Autoconfiança

3. Empatia

4. Paciência

5. Ótima comunicação

6. Sendo de urgência

7. Preparo físico 

 

Com tantas habilidades necessárias, é preciso se especializar em um curso de confiança para se tornar um profissional qualificado. Sabia que o Curso Evidente fornece o curso de socorrista/resgatista? Com aulas teóricas e práticas, você finaliza o curso pronto para salvar vidas!

Acesse bit.ly/2ZlR5vN e fale com um consultor do Curso Evidente. 

 


Outros destaques